A estratégia das cores…

3 Abril 2018

foto joao xavier - malva xis 2018

Tenho uma malva vermelhona que começou a florir ontem, debaixo de uns chuviscos.

Desconfio que ela é benfiquista… e quis assim festejar a subida do Benfica ao 1º lugar da 1ª Liga do futebol profissional português!

O que mais me maravilha nesta planta é a força da vermelhidão das suas flores.

Dizem os cientistas que o objetivo é atrair os insetos que fazem a polinização… mas eu não alinho. As malvas, por exemplo, não precisam de se reproduzir por frutos, pois clonam facilmente.

A alegada estratégia das cores e dos perfumes é, quanto a mim, mais uma interpretação humana do que outra coisa…

Fiquem-se com a teoria para as escolas, que as plantas não precisam de escolas para nada. 😀

 

Anúncios

O sobreiro assobiador

22 Março 2018

foto hugo ribeiro - sobreiro assobiador

A EPA, uma fundação sedeada em países do leste europeu, escolheu como árvore europeia do ano o sobreiro mais antigo do mundo.

O sobreiro assobiador, que assobia fortemente quando o vento passa pela sua enorme ramada, tem 234 anos de idade, já vai nos 16 metros de altura e situa-se em Águas de Moura, perto de Palmela.

A perigosa seiva da cana do mudo

16 Março 2018

foto jorge burgos - dieffenbachia

Esta planta está a ser muito vendida para decoração de interiores e chama-se Dieffenbachia, em homenagem ao médico e naturalista alemão Ernst Dieffenbach (1811 / 1855).

No Brasil, é conhecida como cana do mudo.

É uma planta originária da floresta amazónica e os índios usam a sua seiva venenosa para envenenar as setas com que caçam. Transportada para a Europa, é muito usada em casas e escritórios, por ser vistosa e purificar o ar, mas a ignorância pode ser fatal.

Ninguém lhe deve tocar com as mãos! A cana do mudo tem uma seiva muito tóxica que pode provocar forte inchaço da garganta, com perda de voz e grande risco de bloqueio das vias respiratórias.

Não deve estar acessível ao contacto de crianças, obviamente, tal como muitas outras plantas que não são comestíveis.

A Crassula ovata

3 Janeiro 2018

KODAK Digital Still Camera

Os botânicos chamam-lhe Crassula ovata. Os chineses chamam-lhe Planta do dinheiro. Os americanos chamam-lhe Planta do dólar. Outros chamam-lhe Bálsamo de jardim, Planta jade e Árvore de krassula.

É realmente uma planta invulgar, com uma resistência pouco habitual e uma longevidade espantosa: chega facilmente aos 100 ou aos 170 anos de vida!!!

Eu tenho uma com mais de 40 anos de idade!

Originária da África do Sul, onde ainda é nativa, esta planta suculenta que pode atingir cerca de 1,5 m de altura pertence à família das crassuláceas, não exige (nem quer…) muita água e é altamente resistente a doenças.

Floresce no inverno ou na primavera (no Algarve, está agora em flor) e até neste particular é especial: só floresce pela primeira vez depois de ter 10 anos de idade!

Foi trazida para a Europa só nos finais do séc. XVII, elimina gases tóxicos da atmosfera e os adeptos da filosofia Feng Shui consideram que ela atrai riqueza e prosperidade e introduz energia positiva em quem cuida dela.

Rita Redshoes dá música às plantas

12 Dezembro 2017

plantas na notícias magazine

A música «Plantasia» foi composta por Mort Garson em 1976 para agradar às plantas e a popular cantora portuguesa Rita Redshoes usa-a para alegrar a vida das suas próprias plantas.

A revelação foi feita à revista Notícias Magazine.

Rita Redshoes gosta de passar «momentos zen» a cuidar da sua horta e do seu jardim.

«Nasci no campo.» – conta ela. «Estar com a natureza permite-me entrar num modo zen, em que só estou a regar, plantar, arrancar ervas daninhas…»

Tenho que ir plantar alfarrobeiras

20 Outubro 2017

foto joao xavier - alfarrobeira nova

Em janeiro deste ano, Francisco Amaral fez publicar no Jornal do Algarve um esclarecimento sobre o adiamento da conclusão de uma sessão da Assembleia Municipal de Castro Marim.

Segundo aquele autarca, o líder socialista da assembleia negou-lhe a hipótese de a sessão decorrer no dia seguinte, afirmando-lhe: «Não, porque tenho que ir plantar alfarrobeiras (…)»

Queixando-se ainda de outros problemas, acabou por escrever que as referidas situações «terão de ser dirimidas nos tribunais».

Passados 9 meses, houve eleições e a coligação liderada por Fr. Amaral venceu, mas sem maioria absoluta.

Para garantir uma estabilidade mínima para o novo mandato, o velho autarca quer agora fazer uma aliança com o «inimigo de estimação» (se não houver mais alfarrobeiras para plantar…)…

Interessante o modo como a simples plantação de alfarrobeiras pode interferir com as políticas (ou as politiquices) locais!

A alfarrobeira, note-se, é uma das grandes riquezas do Algarve: com as alfarrobas, as indústrias alimentares e farmacêuticas fabricam milhentos produtos que fazem parte do nosso quotidiano…

Um livro sobre a azinheira monumental de Fátima

19 Julho 2017

capa do livro os 3 pastorinhos e a azinheira

Há 100 anos, uma pequena árvore esteve no centro das atenções, na Cova da Iria, protagonizando a localização das aparições de Nossa Senhora de Fátima a 3 pastorinhos.

A azinheira monumental, hoje mantida no Santuário de Fátima, é um ponto essencial de referência para muitas manifestações de fé.

Para dar relevo a este simples pormenor, Pedro Boléo Tomé escreveu o livro «Os 3 pastorinhos de Fátima e a azinheira», editado pela Aletheia, no âmbito das comemorações dos 100 anos das aparições.

O livro infantil, com ilustrações de Sónia Matos, explica em linguagem muito clara o protagonismo da azinheira a que alguns chamavam carrasqueira.

A azinheira cresceu e é hoje uma grande árvore. Uma árvore especial, com uma história especial.

 

Uma figueira na urbanização das laranjeiras

12 Julho 2017

KODAK Digital Still Camera

As plantas não se deixam esquecer nas cidades, ao contrário do que pensam os engenheiros do cimento e do alcatrão.

Em alguns casos pontuais de cidades abandonadas, quem toma conta dos espaços são as árvores (veja-se o exemplo de Chernobyl).

Na banalidade das nossas cidades, há 3 maneiras de encararmos as plantas em espaços urbanos:

  1. Construímos jardins e parques com relvados, plantamos árvores «de sombra» nas ruas e ornamentamos canteiros com flores coloridas;
  2. Plantamos plantas diversas em vasos, nas varandas;
  3. Não conseguimos controlar as plantas «daninhas» que aproveitam os mais ínfimos espaços para crescer, como por exemplo entre as pedras da calçada.

A imagem que hoje trago é uma foto que fiz em Faro, na Urbanização das Laranjeiras.

Indiferente à toponímia, uma figueira escolheu para nascer o escoador da varanda de um apartamento!…

O futuro não lhe é muito promissor, mas os humanos criaram um provérbio que diz «enquanto o pau vai e vem, folgam as costas» e «quem nasceu para lagarto não chega a jacaré».

Pode ser, contudo, que uma alma caridosa se lembre de retirar dali a tão pequenina figueira e lhe dê terra e espaço para ter uma vida folgada e longa…

O repolho e a vitamina U

5 Julho 2017

foto joao xavier - repolho xis 2017

Um repolho a crescer é um cozido a prometer…

A propósito: sabe que os repolhos contêm uma substância chamada S-metilmetionina?

Os peritos dizem que é por causa dessa substância, também conhecida como vitamina U, que os repolhos são aconselhados em casos de úlceras gástricas…

 

A melancia dos preços baixos

16 Junho 2017

melancia num folheto pingo doce maio2017

É tempo de melancia.

Num folheto do Pingo Doce, uma melancia substitui a letra O para nos satisfazer o paladar e matar a sede.

A fruta da época, seja ela melancia, pêssego, melão ou cereja, deve ser uma opção racional nos nossos consumos.

É uma bela opção publicitária escolher frutos para sugerir produtos alimentares.