Archive for the ‘Flores’ Category

As calcinhas de cuco

18 Maio 2018

foto joao xavier - calcinhas de cuco

Os botânicos chamam-lhes gladíolos itálicos, mas em Portugal eles são conhecidos como calcinhas de cuco…

São gladíolos silvestres que anualmente embelezam os campos mediterrânicos com bonitas e singelas flores cor-de-rosa, quando a primavera aquece os dias.

Preferem solos calcários e são uma ode à alegria e à simplicidade da vida.

Fiz esta foto, um dia destes, no barrocal algarvio.

 

Anúncios

Uma papoila a ver futebol

1 Maio 2018

KODAK Digital Still Camera

Em cada primavera que passa, gosto de fotografar uma papoila e legendar a imagem: «um grito vermelho num campo qualquer».

Este ano, enquanto via futebol distrital no campo da Horta da Areia, em Faro, reparei nesta papoila que cresce e floresce junto a um muro.

Este não é um campo de futebol «qualquer»: foi na Horta da Areia que a minha mãe me viu pela primeira vez arbitrar um jogo.

A vida tem destas coisas. Quando reparei na papoila que cresce e floresce junto ao muro daquele campo de futebol, pensei apenas na expressão «um grito vermelho num campo qualquer»… mas pouco tardou a que a memória me acrescentasse dados e, com ela, flashes diversos de uma história pessoal que sem o futebol teria sido muito menos colorida.

 

A estratégia das cores…

3 Abril 2018

foto joao xavier - malva xis 2018

Tenho uma malva vermelhona que começou a florir ontem, debaixo de uns chuviscos.

Desconfio que ela é benfiquista… e quis assim festejar a subida do Benfica ao 1º lugar da 1ª Liga do futebol profissional português!

O que mais me maravilha nesta planta é a força da vermelhidão das suas flores.

Dizem os cientistas que o objetivo é atrair os insetos que fazem a polinização… mas eu não alinho. As malvas, por exemplo, não precisam de se reproduzir por frutos, pois clonam facilmente.

A alegada estratégia das cores e dos perfumes é, quanto a mim, mais uma interpretação humana do que outra coisa…

Fiquem-se com a teoria para as escolas, que as plantas não precisam de escolas para nada. 😀

 

A Crassula ovata

3 Janeiro 2018

KODAK Digital Still Camera

Os botânicos chamam-lhe Crassula ovata. Os chineses chamam-lhe Planta do dinheiro. Os americanos chamam-lhe Planta do dólar. Outros chamam-lhe Bálsamo de jardim, Planta jade e Árvore de krassula.

É realmente uma planta invulgar, com uma resistência pouco habitual e uma longevidade espantosa: chega facilmente aos 100 ou aos 170 anos de vida!!!

Eu tenho uma com mais de 40 anos de idade!

Originária da África do Sul, onde ainda é nativa, esta planta suculenta que pode atingir cerca de 1,5 m de altura pertence à família das crassuláceas, não exige (nem quer…) muita água e é altamente resistente a doenças.

Floresce no inverno ou na primavera (no Algarve, está agora em flor) e até neste particular é especial: só floresce pela primeira vez depois de ter 10 anos de idade!

Foi trazida para a Europa só nos finais do séc. XVII, elimina gases tóxicos da atmosfera e os adeptos da filosofia Feng Shui consideram que ela atrai riqueza e prosperidade e introduz energia positiva em quem cuida dela.

A FIFA contra uma papoila

21 Novembro 2016

foto the independent - papoila no jogo inglaterra-escócia

As seleções A de futebol da Inglaterra e da Escócia decidiram entrar em campo para a recente jornada de apuramento do Mundial 2018 com braçadeiras que ostentavam uma papoila.
A simbologia do ato foi a comemoração do armistício e a homenagem aos mortos da Grande Guerra.
Contra essa ação, a FIFA desencadeou um processo que visa punir as federações da Inglaterra e da Escócia!
Tudo por causa de uma papoila!
A simbologia das plantas continua a ser fundamental nas crenças dos humanos.

Plantas em garrafas nas paredes

12 Maio 2015

Foto João Xavier - Olantas em garrafa

Há quem goste de plantas e não goste de paredes nuas.
A solução é alegrar as paredes com plantas!
Nem sequer é preciso gastar muito dinheiro: com umas garrafas da água, resolve-se o problema.
O exemplo fotografei eu há dias, perto de Tavira, no Algarve.

Um maio pequenino florido

30 Abril 2015

Foto João Xavier - Maio pequenino

Publiquei recentemente uma imagem de um campo com «maios pequeninos» junto ao marco geodésico dos Corujos.
A pedido de diversos navegantes, trago hoje uma foto que eu fiz de um «maio pequenino» florido, para correta identificação.
Sobre dados da planta, obviamente, basta procurar neste site o texto que publiquei em 10 de abril de 2015.

Os maios pequeninos

10 Abril 2015

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Subi recentemente ao marco geodésico dos Corujos (um nome serrenho que José Saramago achou símbolo do interior agreste algarvio quando por ali passou).
A 190 metros de altitude, a mãe Natureza esperava-me com uma prenda: uma série de maios pequeninos floridos.
Os maios pequeninos são umas plantas vivazes silvestres que adoram terrenos secos e passam despercebidas durante muitos meses e escondidas nos pequenos bolbos muitos mais, mas exibem flores de um azul berrante durante cerca de uma semana. Repare no pintalgado junto ao marco geodésico.
Há também quem lhes chame pés de burro ou pés de burrico. Os gregos chamam-lhes lírios de floretes e em Espanha são conhecidos como lírios espanhóis. O seu nome latino é «Gynandriris sisyrinchium».

As flores sabem onde devem florir…

12 Fevereiro 2015

Foto João Xavier - Flor na praia

Sempre «dei baixa pontuação» a quem não gosta de flores.
Eu sempre gostei de flores, sobretudo silvestres, daquelas que nascem entre pedras e à socapa, fazendo pela vida sem nos andarem sempre a pedir água e esmeros…
Temos muitas lições a aprender com as flores.
As flores podem nascer em qualquer lugar…

Bolbo de labareda

20 Novembro 2014

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Por esta altura, estão a renascer as «labaredas», que hão de florir na força do inverno.
Eis uma bonita foto de um bolbo de «labareda» já pronto para a nova vida. Tinha-o guardado para o plantar num vaso e ele surpreendeu-me na semana passada a dizer que vai sendo tempo de lhe dar terra…
Já no amo passado publiquei neste site um artigo sobre as «labaredas»:
https://asplantas.wordpress.com/2013/02/28/labaredas-no-campo-frio/ .