Archive for the ‘Crenças’ Category

Um livro sobre a azinheira monumental de Fátima

19 Julho 2017

capa do livro os 3 pastorinhos e a azinheira

Há 100 anos, uma pequena árvore esteve no centro das atenções, na Cova da Iria, protagonizando a localização das aparições de Nossa Senhora de Fátima a 3 pastorinhos.

A azinheira monumental, hoje mantida no Santuário de Fátima, é um ponto essencial de referência para muitas manifestações de fé.

Para dar relevo a este simples pormenor, Pedro Boléo Tomé escreveu o livro «Os 3 pastorinhos de Fátima e a azinheira», editado pela Aletheia, no âmbito das comemorações dos 100 anos das aparições.

O livro infantil, com ilustrações de Sónia Matos, explica em linguagem muito clara o protagonismo da azinheira a que alguns chamavam carrasqueira.

A azinheira cresceu e é hoje uma grande árvore. Uma árvore especial, com uma história especial.

 

O repolho e a vitamina U

5 Julho 2017

foto joao xavier - repolho xis 2017

Um repolho a crescer é um cozido a prometer…

A propósito: sabe que os repolhos contêm uma substância chamada S-metilmetionina?

Os peritos dizem que é por causa dessa substância, também conhecida como vitamina U, que os repolhos são aconselhados em casos de úlceras gástricas…

 

Uma maçaroca futebolista

8 Junho 2017

mascote do luverdense

Uma maçaroca a jogar futebol?

A ideia foi do Luverdense, um clube brasileiro fundado em janeiro de 2004 e já na presente temporada a disputar a 2ª liga do Brasileirão.

A mascote da maçaroca de milho consubstancia uma homenagem à economia regional, pois milho e soja rendem ali fortunas e geram milhares de empregos.

Sedeado na cidade de Lucas do Rio Verde (no Mato Grosso), o Luverdense foi o primeiro clube do goleador Felipe Silva, que se sagrou em 2016/17 Campeão do Algarve, pelo Algarve CF.

As plantas são elementos unificadores das crenças, sejam a nível desportivo, sejam a nível cultural, político ou religioso… e o milho começou por ser cultivado há milhares de anos precisamente na América…

 

A simbologia do pinheiro

3 Fevereiro 2017

foto-joao-xavier-pinheiro-na-aldeia-das-acoteias

O pinheiro é uma árvore importante para a economia, mas também é visto como uma árvore simbólica da felicidade humana!

Em diversos documentos encontramos o pinheiro como símbolo da imortalidade, no extremo-Oriente, devido à sua folhagem persistente e também devido à incorruptibilidade da sua resina.

Chegando facilmente aos 250 anos de vida, o pinheiro é igualmente considerado um símbolo de longevidade, vigor e resistência.

A força maior da simbologia do pinheiro bravo é como «árvore do Natal». Consta que essa tradição ganhou popularidade no séc. XVI, pela forma triangular que consubstancia o Santíssima Trindade, mas também pela beleza estética da sua silhueta e pela perenidade do seu verde.

O pinheiro não é apenas uma árvore de crescimento rápido, com umas folhas esquisitas e agrestes. As crenças humanas elevaram-na a um patamar superior.

Um campo de batatas com 3800 anos

30 Dezembro 2016

foto-dn-batatal-de-ha-3800-anos

No Canadá, foram descobertos campos de plantação de batatas de há 3800 anos!
O terreno era da tribo Katzie e prova aos arqueólogos da Universidade Simon Fraser que o Homem já plantava batatas há quase 4 mil anos!
Além das 3768 batatas fossilizadas («wapatos»), foram descobertos 150 fragmentos de utensílios agrícolas metálicos.
Já havia outras pistas que indiciavam o cultivo milenar das batatas (que levaram milénios a chegar à Europa…), mas esta descoberta arqueológica configura-se como a mais relevante.

A vida das plantas… a nossa vida

21 Dezembro 2016

foto-joao-xavier-faveira-xis-nova

Com o frio do outono, nascem as primeiras faveiras.
A terra agradece as chuvas e as plantas crescem contentes. A gente olha-as, pensando já nas flores que mais tarde virão, para dar lugar aos frutos.
É mais um ano agrícola na sua pujança rotineira. É mais um ciclo da vida que não pára.

A FIFA contra uma papoila

21 Novembro 2016

foto the independent - papoila no jogo inglaterra-escócia

As seleções A de futebol da Inglaterra e da Escócia decidiram entrar em campo para a recente jornada de apuramento do Mundial 2018 com braçadeiras que ostentavam uma papoila.
A simbologia do ato foi a comemoração do armistício e a homenagem aos mortos da Grande Guerra.
Contra essa ação, a FIFA desencadeou um processo que visa punir as federações da Inglaterra e da Escócia!
Tudo por causa de uma papoila!
A simbologia das plantas continua a ser fundamental nas crenças dos humanos.

Os figos…

29 Junho 2016

foto joao xavier - figos colhoes de burro

Tempo de verão é tempo de figos.
Saborosos e nutritivos, os figos fornecem-nos muitos antioxidantes, cálcio, cobre, manganês, ferro, fósforo, potássio, selénio, zinco e vitaminas A, E e K.
Estão longe de ser, portanto, apenas uma delícia para o paladar.
Comer figos é proteger a nossa saúde contra a diabetes, o cancro, as doenças degenerativas e as infeções.
Não é de admirar que os gregos tenham desde a antiguidade uma grande predileção pelos figos, considerando-os de origem divina (diziam que a deusa da agricultura criou as figueiras para agradecer a hospitalidade de Pítalo).
Também não é por acaso que a figueira foi uma das primeiras plantas a ser cultivada pelo Homem (pelo menos desde a Idade da Pedra…).
Os nossos antepassados não se limitavam a comer os figos frescos, pois cuidavam de os secar ao sol e manter cuidadosamente em caixas de madeira, para os comerem ao longo do inverno (os figos secos são muito calóricos).

Que árvore quer ser depois de morrer?

4 Maio 2016

foto DN - urna bios para renascer numa árvore

Que árvore quer ser depois de morrer?
A ideia de colocar as cinzas humanas dentro de uma «urna» biodegradável com uma semente foi trazida para Portugal pela Sigma Pack.
Uma pessoa pode, portanto, dar origem a uma árvore!
Na prática, o que acontece é que as cinzas vão alimentar uma árvore desde a sua origem, juntamente com terra e turfa. Os familiares poderão plantá-la onde quiserem (não há legislação que se oponha) e terão na árvore um símbolo vivo do ente querido falecido.
Uma ideia criativa para dar vida aos nossos restos mortais…

A figueira na sabedoria milenar

21 Março 2016

Foto João Xavier - Figueira em Salir

«Fenícios, egípcios, gregos, romanos veneravam a figueira e o figo. No Império Romano, era sagrado: na mitologia, a loba que alimentou Rómulo e Remo, fundadores de Roma, descansou sob uma figueira. É fruto sagrado para os judeus, faz parte dos 7 alimentos que crescem na Terra Prometida.» – escreveu em junho de 2011 no Correio da Manhã João Palma, Presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público.
A viagem aos tempos da antiguidade deveu-se ao facto de o então Presidente da República ter oferecido figos na entrada de um almoço com as altas individualidades da Justiça.
A figueira é um símbolo que vai muito além da simplicidade de uma árvore de folha caduca que dá uns frutos/flores superdeliciosos.
As plantas são assim. Transcendem-nos.