Lírios de Sophia

Sonhei com lúcidos delírios

À luz de um puro amanhecer

Numa planície onde crescem lírios

E há regatos cantantes a correr.

Encontrei ao acaso esta bela quadra de Sophia de Mello Breyner Andresen, num livro escolar do 8º ano.

Servia para exemplificar algumas noções de versificação (neste caso, a rima cruzada ou alternada).

Mas eu, farto de tanta escolarização da vida e tanta formatação da poesia, pus-me de repente a lembrar uns lírios que plantei há já muitos anos junto a um regato.

A poesia da vida, a singeleza das flores e a maravilha da natureza valem muito mais que todas as teorias juntas.

Os meus lírios, esses, alheios a tanta formatação, lá vão anualmente florindo e embelezando a paisagem sem precisarem de métrica nem rima.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: