Imigrantes nos laranjais

«Se não fossem os estrangeiros não haveria ninguém para apanhar uma laranja no Algoz!»- diz no jornal Barlavento o presidente da junta de freguesia, Sérgio Antão.

O problema da mão de obra para a agricultura é um problema recorrente daquilo a que chamam progresso.

Com a monocultura do turismo e da terceirização, o Algarve tem abandonado a agricultura numa evolução desastrosa para uma sociedade desequilibrada.

Os grandes laranjais são uma imagem de marca da paisagem do Algoz, mas mesmo assim os filhos da terra preferem fugir para a hotelaria e a restauração do litoral. Salvam-nos os imigrantes (romenos e ucranianos, por exemplo), que aproveitam o câmbio monetário favorável e com o trabalho nos laranjais conseguem rendimentos impensáveis nos seus países de origem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: