Cada um no seu lugar

A estratificação social com que o Homem tem estruturado a sociedade tem um testemunho curioso nesta gravura alemã de 1532, representando a hierarquia estabelecida, com o povo trabalhador em baixo, clérigos e nobre mais acima e os monarcas no topo de uma árvore.

Fazia-se crer que cada um, ao nascer, tinha um lugar reservado na sociedade e com ele se deveria contentar. Quem se insurgisse contra esta ordem das coisas, seria punido no inferno, após a morte.

Por isso poucos se revoltavam contra a miséria em que viviam: quase todos tinham medo de ir mais tarde queimar-se no inferno…

A composição subentendida na gravura tem um erro. Podemos ser levados a pensar que merece estar lá em cima quem melhor conseguiu amarinhar pela árvore da sociedade.  Mas não era assim: as origens familiares marcavam qualquer um, muito mais do que atualmente.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: